Close

No tocar, sagrada

A cultura da coca existe em alguns países da América Latina desde os tempos dos Incas, há cerca de 5 mil anos atrás. A forma mais tradicional do seu cultivo possui algumas regras muito importantes para a comunidade local e é realizada de maneira familiar; normalmente os homens preparam o terreno com uma técnica de cultivo específica para o solo em declive e as mulheres realizam a colheita.

A coca é considerada uma planta sagrada, utilizada em cerimônias sociais e rituais comunitários como um importante meio de integração e solidariedade. Quando oferecida como presente, expressa amizade e generosidade.

Os povos das altas regiões dos Andes mastigam a folha de coca para enfrentar a fome e o cansaço. O extrato da planta também é muito utilizado na medicina e na culinária, devido seu alto valor nutricional, rica em cálcio, vitamina A e fósforo. 

Os países que cultivam a planta não podem comercializá-la livremente pois a Nações Unidas lhes determinou um embargo comercial desde 1961, considerando-a um narcótico. No entanto, para transformar a coca em uma droga é necessário adicionar 41 substâncias químicas diferentes, as quais não são produzidas nos países onde a planta cresce, mas em países que possuem uma forte indústria farmacêutica.


Ensaio inédito, disponível para publicação.